Início
/
Serviços
/
Cuidados de Saúde Hospitalares
Cuidados de Saúde Hospitalares

Hospital Dr. José Maria Grande

Um pouco de história


Integrado no plano de cobertura hospitalar do País, o Hospital Distrital de Portalegre, actualmente designado por Hospital Doutor José Maria Grande, destina-se a servir uma população de aproximadamente 92.000 habitantes (1999), distribuídos pelos concelhos do Distrito de Portalegre.
Depois de algum tempo de preparação para a sua abertura ao público, foi em 26 de Dezembro de 1974, que foram transferidos os primeiros utentes, vindos do anterior Hospital da Misericórdia, para os Serviços de Medicina, Homens e Mulheres, Cirurgia, Homens e Mulheres, Pediatria e Obstetrícia, embora a data oficial da sua abertura seja a de 1 de Janeiro de 1975.

O pessoal que transitou do Hospital da Misericórdia, representava na altura, cerca de 20% do pessoal do novo Hospital, tendo o restante, sido recrutado do exterior e de outros Hospitais.

Quando da abertura, o Hospital dispunha de um total de 145 camas (1975), distribuídas pelos serviços de:

  • Medicina Homens – 25
  • Medicina Mulheres – 25
  • Cirurgia Homens – 25
  • Cirurgia Mulheres – 25
  • Obstetrícia – 26 (incluindo 13 berços)
  • Pediatria – 19

Durante o primeiro ano do hospital, foram inaugurados outros serviços.
O Serviço de Quartos Particulares abriu a 10 de Março de 1975, com 20 camas.
O Serviço de Especialidades abriu, com 23 camas, a 28 de Abril de 1975. A 10 de Outubro de 1975, o Banco de Urgência abriu com um Serviço de Observação (S.O.) de 9 camas.
Assim, para efeitos de estatística, o Hospital dispunha no final de 1975 de 197 camas (incluindo as 9 de S.O. e os 13 berços em Obstetrícia).
O Sanatório também contribuía com internamentos de doentes com patologias do foro respiratório, dando apoio ao Hospital, entrando para efeitos de estatística em 1976, com 100 camas disponíveis, sendo reduzidas para 30 em 1977 e acabando por fechar a 9 de Outubro de 1984.
A Unidade de Cuidados Intensivos, abriu a 14 de Maio de 1977, disponibilizando 5 camas.
Devido à abertura do Serviço de Neurologia (no Sanatório) com 8 camas, as camas de Medicina, também no Sanatório, foram reduzidas para 22 a partir de 1 de Dezembro de 1979.
O Serviço de Ortopedia abriu em 17 de Outubro de 1980, com 23 camas, tendo encerrado em 28 de Julho de 1981, e reaberto em 1 de Setembro em 1981.
Também, e com localização no Sanatório, abriu o Serviço de Hemodiálise a 20 de Abril de 1987. Actualmente, este encontra-se a ser explorado por uma empresa privada.
A 1 de Agosto de 1992, o Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental, foi integrado no Hospital, tendo ficado anexadas a Clínica de Evolução Aguda, Clínica de Evolução Prolongada e Consultas Externas Gerais e de Atendimento Infantil e Juvenil.
Em 15 de Novembro de 1995, abriu o Serviço de Quimioterapia/Oncologia, tratando o primeiro utente em 20 de Novembro, com localização no 2º piso do Hospital, ao lado do Banco de Urgência.

O Hospital Doutor José Maria Grande dispõe atualmente  de  141 camas.

Enf. Jorge Marques

Hospital Santa Luzia de Elvas

Um pouco de história


A história do hospital de Elvas remonta ao séc. XVII. A Ordem Hospitaleira teve a sua fundação em 1606, 56 anos após a morte do seu patrono. Com as lutas da independência foram mobilizados os religiosos de São João de Deus para a saúde militar criando uma nova realidade: os Conventos-Hospitais. O Convento-Hospital Real Militar de Elvas, o primeiro da Ordem em Portugal, data dos inícios da Guerra da Restauração, em 1641, e a sua colocação na Praça-Forte de Elvas teve uma importância crucial durante mais de cem anos. Há referências em Fr. Juan Santos deste hospital dispor de mais de 500 camas e de, para os Serviços de Saúde Militar, se ter tornado um centro de formação em saúde e assistência aos feridos e doentes do Exercito Real.

Prova-o a publicação “Postilla Religiosa e Arte de Enfermeiros”, de 1741, destinado à formação de noviços do Convento-Hospital de Elvas. É o primeiro manual de formação em cuidados de enfermagem e foi, recentemente, lançado pela Alcalá uma edição fac-simile desta obra do Fr. Diogo de Santiago. O original da obra encontra-se na Biblioteca da Academia das Ciências de Lisboa.

À medida que os regimentos dos hospitais militares foram mudando, principalmente a partir do Marquês de Pombal, e que a pressão das guerras diminuiu, houve também pressões para substituir e reduzir os religiosos. A reforma do Hospital de Elvas foi realizada pelo Alvará de 11 de Junho de 1802.

A realidade do Hospital Militar de Elvas só foi extinta no séc. XX, período até ao qual se manteve e identidade extremamente marcada de Elvas, enquanto cidade-militar. Na actualidade nas antigas instalações do hospital funciona o novíssimo Hotel São João de Deus.

Paralelamente Elvas tem desde há muito um pequeno hospital para atender os cidadãos que não fossem militares. Funcionou em colaboração com a Santa Casa de Misericórdia, em instalações, no centro da cidade, hoje ocupadas pelo Museu de Arte Contemporânea.

No início dos anos 90 um protocolo assinado entre o Ministério da Saúde e a Fundação Mariana Martins permitiu a construção do novo hospital de Santa Luzia de Elvas. Foi inaugurado a 15 de Março de 1994. Dotado inicialmente de serviços de urgência, ambulatório e internamento para especialidades básicas (Medicina Interna, Cardiologia, Ortopedia e Cirurgia Geral), com capacidade para 140 doentes. Durante estes últimos anos foram marcantes os momentos de aposta interna e reconhecimento externo em políticas de Qualidade, parcerias com organizações de ensino e prática nacionais e estrangeiras, protocolos assistenciais com instituições da Extremadura espanhola, o pioneirismo nacional no âmbito da Telemedicina e a integração na Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano, ocorrida no ano de 2007.

O Hospital Santa Luzia de Elvas dispõe atualmente de 88 camas.

Enf. Rui Cambóias

Cuidados de Saúde Hospitalares

Hospital Dr. José Maria Grande

Um pouco de história


Integrado no plano de cobertura hospitalar do País, o Hospital Distrital de Portalegre, actualmente designado por Hospital Doutor José Maria Grande, destina-se a servir uma população de aproximadamente 92.000 habitantes (1999), distribuídos pelos concelhos do Distrito de Portalegre.
Depois de algum tempo de preparação para a sua abertura ao público, foi em 26 de Dezembro de 1974, que foram transferidos os primeiros utentes, vindos do anterior Hospital da Misericórdia, para os Serviços de Medicina, Homens e Mulheres, Cirurgia, Homens e Mulheres, Pediatria e Obstetrícia, embora a data oficial da sua abertura seja a de 1 de Janeiro de 1975.

O pessoal que transitou do Hospital da Misericórdia, representava na altura, cerca de 20% do pessoal do novo Hospital, tendo o restante, sido recrutado do exterior e de outros Hospitais.

Quando da abertura, o Hospital dispunha de um total de 145 camas (1975), distribuídas pelos serviços de:

  • Medicina Homens – 25
  • Medicina Mulheres – 25
  • Cirurgia Homens – 25
  • Cirurgia Mulheres – 25
  • Obstetrícia – 26 (incluindo 13 berços)
  • Pediatria – 19

Durante o primeiro ano do hospital, foram inaugurados outros serviços.
O Serviço de Quartos Particulares abriu a 10 de Março de 1975, com 20 camas.
O Serviço de Especialidades abriu, com 23 camas, a 28 de Abril de 1975. A 10 de Outubro de 1975, o Banco de Urgência abriu com um Serviço de Observação (S.O.) de 9 camas.
Assim, para efeitos de estatística, o Hospital dispunha no final de 1975 de 197 camas (incluindo as 9 de S.O. e os 13 berços em Obstetrícia).
O Sanatório também contribuía com internamentos de doentes com patologias do foro respiratório, dando apoio ao Hospital, entrando para efeitos de estatística em 1976, com 100 camas disponíveis, sendo reduzidas para 30 em 1977 e acabando por fechar a 9 de Outubro de 1984.
A Unidade de Cuidados Intensivos, abriu a 14 de Maio de 1977, disponibilizando 5 camas.
Devido à abertura do Serviço de Neurologia (no Sanatório) com 8 camas, as camas de Medicina, também no Sanatório, foram reduzidas para 22 a partir de 1 de Dezembro de 1979.
O Serviço de Ortopedia abriu em 17 de Outubro de 1980, com 23 camas, tendo encerrado em 28 de Julho de 1981, e reaberto em 1 de Setembro em 1981.
Também, e com localização no Sanatório, abriu o Serviço de Hemodiálise a 20 de Abril de 1987. Actualmente, este encontra-se a ser explorado por uma empresa privada.
A 1 de Agosto de 1992, o Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental, foi integrado no Hospital, tendo ficado anexadas a Clínica de Evolução Aguda, Clínica de Evolução Prolongada e Consultas Externas Gerais e de Atendimento Infantil e Juvenil.
Em 15 de Novembro de 1995, abriu o Serviço de Quimioterapia/Oncologia, tratando o primeiro utente em 20 de Novembro, com localização no 2º piso do Hospital, ao lado do Banco de Urgência.

O Hospital Doutor José Maria Grande dispõe atualmente  de  141 camas.

Enf. Jorge Marques

Hospital Santa Luzia de Elvas

Um pouco de história


A história do hospital de Elvas remonta ao séc. XVII. A Ordem Hospitaleira teve a sua fundação em 1606, 56 anos após a morte do seu patrono. Com as lutas da independência foram mobilizados os religiosos de São João de Deus para a saúde militar criando uma nova realidade: os Conventos-Hospitais. O Convento-Hospital Real Militar de Elvas, o primeiro da Ordem em Portugal, data dos inícios da Guerra da Restauração, em 1641, e a sua colocação na Praça-Forte de Elvas teve uma importância crucial durante mais de cem anos. Há referências em Fr. Juan Santos deste hospital dispor de mais de 500 camas e de, para os Serviços de Saúde Militar, se ter tornado um centro de formação em saúde e assistência aos feridos e doentes do Exercito Real.

Prova-o a publicação “Postilla Religiosa e Arte de Enfermeiros”, de 1741, destinado à formação de noviços do Convento-Hospital de Elvas. É o primeiro manual de formação em cuidados de enfermagem e foi, recentemente, lançado pela Alcalá uma edição fac-simile desta obra do Fr. Diogo de Santiago. O original da obra encontra-se na Biblioteca da Academia das Ciências de Lisboa.

À medida que os regimentos dos hospitais militares foram mudando, principalmente a partir do Marquês de Pombal, e que a pressão das guerras diminuiu, houve também pressões para substituir e reduzir os religiosos. A reforma do Hospital de Elvas foi realizada pelo Alvará de 11 de Junho de 1802.

A realidade do Hospital Militar de Elvas só foi extinta no séc. XX, período até ao qual se manteve e identidade extremamente marcada de Elvas, enquanto cidade-militar. Na actualidade nas antigas instalações do hospital funciona o novíssimo Hotel São João de Deus.

Paralelamente Elvas tem desde há muito um pequeno hospital para atender os cidadãos que não fossem militares. Funcionou em colaboração com a Santa Casa de Misericórdia, em instalações, no centro da cidade, hoje ocupadas pelo Museu de Arte Contemporânea.

No início dos anos 90 um protocolo assinado entre o Ministério da Saúde e a Fundação Mariana Martins permitiu a construção do novo hospital de Santa Luzia de Elvas. Foi inaugurado a 15 de Março de 1994. Dotado inicialmente de serviços de urgência, ambulatório e internamento para especialidades básicas (Medicina Interna, Cardiologia, Ortopedia e Cirurgia Geral), com capacidade para 140 doentes. Durante estes últimos anos foram marcantes os momentos de aposta interna e reconhecimento externo em políticas de Qualidade, parcerias com organizações de ensino e prática nacionais e estrangeiras, protocolos assistenciais com instituições da Extremadura espanhola, o pioneirismo nacional no âmbito da Telemedicina e a integração na Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano, ocorrida no ano de 2007.

O Hospital Santa Luzia de Elvas dispõe atualmente de 88 camas.

Enf. Rui Cambóias